domingo, 3 de janeiro de 2016

Sobre o artigo de Dilma na FOLHA: quem está raciocinando de forma analógica não é Dilma.


Nós já temos tantos problemas de verdade para conhecer, compreender e encaminhar soluções corretas e alguns companheiros colocam ao lado de questões de verdadeiramente relevantes o fato de um artigo da presidente Dilma ter sido publicado na FOLHA. Mio Dio del cielo! Quella mancanza di servizio ...
Alegam que “Dilma apanhou tanto da Folha” que não deveria usar o jornal dos Frias a propósito do ano novo; que “Dilma enxerga a mídia ao velho modo – jornais e revistas impressos, rádios e televisão” e que ignora a internet.
As criticas irracionais atingiram até os que compreendem a publicação do artigo na Folha, que passam a ser qualificados de detentores de um modelo mental obsoleto. Os imbecis que criticaram o uso da FOLHA talvez nunca tenham ouvido a expressão “convergência Midiática”, nem ouviram falar em Henry Jenkins.
A convergência midiática é um conceito desenvolvido por Jenkins e designa uma tendência que os meios de comunicação tradicionais definitivamente aderiram a um processo de adaptação à internet, ela consiste em usar este suporte como canal para distribuição de seu conteúdo.
Em outras palavras, o conteúdo publicado na FOLHA por conta da convergência está viralizado[1] na web, em blogs, sites, no Facebook, twitter, etc. Creio que quem está raciocinando de forma analógica não é Dilma, mas esses os críticos cheios de ressentimento “fora de hora” e revanchismo demodê.
Não sei quantas pessoas lêem a Folha, mas por conta da convergência midiática li o artigo publicado na FOLHA num grupo no Facebook e o compartilhei em vários outros grupos e no twitter.

Não importa quantas pessoas leram o artigo na FOLHA ou quantos se deixarão se convencer pelo conteúdo do artigo, o que importa é o uso de todos os espaços públicos, privados, físicos ou virtuais de difusão de idéias, para o debate republicano e democrático.

Outro de raciocínio analógico qualificou o uso da FOLHA como a burrada do ano”, pois o jornaleco dos FRIAS teria sido desleal quando publicou uma ficha falsa de Dilma, escreveu editoriais desaforados contra ela e alimentou os golpistas, tudo isso é verdade, assim como é verdade que a resistência contra o golpe “insuflado por jornalões e revistonas” ocorreu via web, mas e daí? Vencemos 2014 e 2015 e Dilma nos dá conteúdo para circularmos na web e usa a FOLHA como plataforma.

A mídia tradicional tentou destruir a imagem de Dilma e de seu governo, mas falhou. A Presidente da Republica segue sendo quem foi eleita democraticamente em 2014, apesar dos esforços da FOLHA, ESTADÃO, O GLOBO, VEJA, etc.

Também é irrelevante saber quem lê a Folha hoje, ou quantos jornais a Folha vende nas bancas, ou se a presidente resolveu falar aos paulistanos. Fato é que ela usou uma plataforma tradicional e falou com autoridade de sua confiança no futuro e deixou claro que o Brasil, sob sua presidência, é maior que interesses privados ou revanchismos de natureza juvenil. 

Dilma não precisa vir a público agradecer àqueles que em 2015 foram às ruas para que a democracia fosse respeitada no Brasil, a História o fará e Dilma e sua coragem também são agradecimento suficiente, por fim a aliança com as ruas está consolidada nos valores republicanos das bandeiras que empunhamos e Dilma honra.

No momento certo ações de governo, orientadas pela legalidade e elevado espírito público, dirão à grande mídia e às grandes fortunas que não conseguirão arrancá-la do poder ninguém quem lá o povo colocou. Na presidência da República não há espaço para mágoas, pois há muito a ser feito para mantermos e ampliarmos as conquistas.
Dilma não “lambe a mão que a apedreja”, ela se coloca acima dos golpistas e ao lado do povo, especialmente porque seu governo dá sinais de que voltará aos trilhos, retomando o modelo de desenvolvimentista, reabrindo o diálogo válido com a sociedade.




[1] Termo usual da internet que designa a ação de fazer com que algo se espalhe rapidamente, semelhante ao efeito viral.

2 comentários:

  1. Seu blog é excelente. Suas avaliações são ótimas. Conteúdo profundo e análise inteligente, tanto aqui quanto em outros blogs.

    ResponderExcluir