sábado, 7 de novembro de 2015

O PT NÃO ME SERVE MAIS.

O que foi feito, amigo, 
De tudo que a gente sonhou

O que foi feito da vida,
O que foi feito do amor
Quisera encontrar aquele verso menino
Que escrevi há tantos anos atrás

Milton Nascimento


A decepção ou desilusão é o sentimento de insatisfação que surge quando as expectativas sobre algo ou alguém não se concretizam, a decepção costuma tirar nossa paz.
No meu caso a decepção trouxe consigo uma tristeza que pulsa incômoda e uma frustração eloqüente, que fala à minha consciência. A decepção é dor da alma e é proporcional ao tempo, valor simbólico e intensidade da expectativa. Estou me referindo ao que sinto em relação ao PT hoje.
Esclareço: não sou filiado ao PT, nunca fui dirigente do partido, mas fui e ainda sou visto e identificado com o partido em razão de minha militância intensa e apaixonada nos anos 80, especialmente na faculdade de Direito da PUC de Campinas.
Mas, apesar da decepção, a esperança me faz crer que esse caos não traz apenas anarquia ou desordem, o caos anuncia uma nova ordem.
A atual crise política por mais artificiosa que seja, por mais que seja fomentada por setores da imprensa, por mais que tenha causas não são verdadeiras, seus efeitos são verdadeiros, por isso é sendo decepcionante constatar a incapacidade dos diversos atores políticos que gozaram da confiança de Lula e Dilma em desconstruir feudos de malfeitos.
O PT hegemonizou um processo novo na política brasileira, apresentou políticas sociais de reconhecido sucesso, investiu, multiplicou o PIB, gerou milhões de empregos, retirou duas dezenas de brasileiros da miséria... Há, portanto, legados inegáveis, mas não fez até agora uma autocrítica pública e humilde dos erros cometidos.

Que erros? Ora, não se justifica um gerente da PETROBRÁS ter e manter milhões de dólares numa conta no Principado de Mônaco, assim como não se justifica um Diretor da mesma empresa manter “seus” milhões em conta da Suíça. É sobre isso que escrevo hoje.

Penso que quadros do PT não souberam usar do poder concedido pelo povo como legitimo e necessário instrumento de mudança e tornaram-se desprezíveis representantes de interesses e vantagens corporativas e, o que é pior, o PT perdeu a conexão orgânica com os movimentos sociais legítimos e com os setores produtivos éticos.

E o PT não da sinais que fará seu mea-culpa, sendo assim não me serve mais, pois alguns de seus quadros traíram milhões de filiados e simpatizantes e macularam sua principal bandeira: a moralidade pública e a transparência em tudo o que faria. Reside ai minha decepção.

Aquele punhado de corruptos e de ladrões do dinheiro público, dentro da Petrobrás (nomeados e mantidos por, praticamente, TODOS os partidos) traiu os mais de um milhão de filiados do PT, traiu os seus simpatizantes, seus militantes anônimos e envergonharam a nação, por isso devem responder por seus atos e pagar por suas escolhas.

A verdade é que em 12 anos o PT fez muita coisa boa, algumas excepcionais, mas não promoveu nenhuma reforma estrutural necessária; nem agrária, nem tributária, nem política. Por que não fez? Lula chegou a ter mais de 80% de aprovação e folgada maioria no congresso nacional.
O PT “perdeu a mão” e perdeu-se e tornou-se um partido igual ou pior, tudo em nome da governabilidade. E a conseqüência foi depender, para a tal governabilidade, dos setores não éticos do mercado e do Congresso. Se tivesse promovido a reforma agrária, de modo a tornar o Brasil menos dependente da exportação de commodities e favorecido mais o mercado interno.
Se ousasse fazer a reforma tributária recomendada por juristas, economistas desenvolvimentistas, priorizando a produção e não a especulação teria assegurado a governabilidade prioritariamente pelo apoio dos movimentos sociais e os setores produtivos éticos, além do que talvez fosse sido possível - desde o primeiro dia - dissipar as estruturas de corrupção postas desde antes de sua chegada ao poder.
A decepção reside no fato de o PT, que surgiu para ser um partido diferente, não ter identificado e acabado com a corrupção e ver parte de seus quadros direta ou indiretamente envolvidos. Se o PT não é o responsável pela implantação da corrupção no país ele falhou nos controles internos.  Penso que agora cabe a Policia Federal, ao Ministério Público Federal e ao Poder Judiciário (sem espetacularizar os fatos) investigar, denunciar e condenar exemplarmente os responsáveis, cada um dos agentes do nojento esquema de corrupção.

O PT envelheceu, burocratizou-se e muitos de seus quadros, como afirmou Tarso Genro, ficaram cada vez mais distantes da sociedade, excessivamente ligados ao governo e à implantação das políticas públicas e, eu acrescento, outros se corromperam.

Repito: não estou a ignorar a existência, entre seus quadros, de muita gente boa, políticos honestamente comprometidos com as lutas populares, com o desenvolvimento social e econômico do país, não é isso, mas o Partido dos Trabalhadores precisaria de um choque que sociedade e de autocrítica e isso não me apresenta mais, pois "Se muito vale o já feito, Mais vale o que será".

O PT é, e sempre será, o partido da minha adolescência e da minha juventude, mas não é mais o ente coletivo de sociedade no qual acredito e nem todo o carinho do mundo pode impedir, e não me impede, de fazer criticas necessárias, pois quem está em paz consigo, está em paz com todos. 

2 comentários:

  1. corrétissimo seu comentário,de um ex filiado quase 30 anos,com tristeza no coração mas não aceitando esse pt de hoje,dei baixa em minha filiação no mes de setembro de 2015,repito com profunda tristezaem meu coraçâo,nâo foi esse o pt que eu sonhei pro meu país.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Temos de fazer a critica para salvar o que for possivel ser salvo do "bom PT".
      abs

      Excluir