sexta-feira, 4 de setembro de 2015

INVESTIMENTO EM PESQUISA CIENTIFICA


“As cenas iniciais do filme “2001, uma odisseia no espaço”, dirigido por Stanley Kubrick em 1968, são emblemáticas ao sintetizar as consequências do domínio da técnica e do conhecimento para o futuro humano. Assim, em linhas gerais, a história do filme registra a estreita correlação entre conhecimento científico e tecnológico e a predominância cultural, política,  econômica e militar.”.
(Prof. Luiz Carlos Gomide Freitas)

O TCU, Tribunal de Contas da União, consolidou as fiscalizações relacionadas às obras para a Copa do Mundo a conta final da Copa do Mundo foi fechada em R$ 25,5 bilhões, de acordo com o relatório consolidado. Do total, R$ 7 bilhões foram gastos em mobilidade urbana e R$ 8 bilhões em estádios. As obras relativas a aeroportos custaram R$ 6,2 bilhões e as obras de entorno dos estádios custaram R$ 996 milhões.

De fato é um valor enorme e objeto de criticas igualmente grandes, mas o legado é significativo, especialmente aquele relacionado às obras de mobilidade urbana e aeroportos.
Encontrei um dado muito auspicioso, numa comparação interessante: se os gastos do país com a Copa do Mundo foram da ordem de R$ 25,6 bilhões, o investimento anual do país em pesquisa científica chegou a R$ 59,4 bilhões, equivalente nas datas dos desembolsos a US$ 27 bilhões, somando as iniciativas pública e privada. Vi esse dado na revista Nature.

O periódico trouxe ainda um panorama sobre a ciência sul-americana. De acordo com a publicação, o Brasil é o líder em publicações científicas na América do Sul, apesar de ainda perder para outros países no impacto dessas pesquisas e na quantidade de cientistas em relação à população total. Com 40.306 publicações em 2013, o Brasil está bem à frente do segundo colocado, a Argentina, com 9.337 artigos.


Fato é que o nosso país está mudando para melhor e nos últimos 20 anos a produção científica do Brasil aumentou em mais de cinco vezes, enquanto a economia quase triplicou em termos de poder de compra, não estou esquecendo, nem tentando mitigar o quadro de recessão que acometeu o capitalismo mundial e também no Brasil, mas temos de celebrar e destacar que nosso país detém mais de dois terços das publicações da América do Sul. Em termos de investimento, o Brasil é o único país do continente que destina mais de 1% de seu PIB em pesquisa e desenvolvimento. Em 2010 a cifra foi de 1,16%, enquanto o líder mundial, Israel, investiu 4,35% de seu PIB, de acordo com dados do Banco Mundial. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário