segunda-feira, 20 de julho de 2015

Lula “um tesouro global”



UMA COMPARAÇÃO INADEQUADA. O polonês Lech Walesa, que nasceu em 1943, e Luiz Inácio Lula da Silva, que nasceu em 1945, tem poucas coisas em comum. É verdade que ambos foram operários, líderes sindicais e chegaram, pela via democrática, a Presidência de seus países.
É verdade que cada um foi acusado de malfeitos.
Walesa foi acusado de ser agente da KGB e Lula está agora sendo acusado de lobista dos interesses das grandes empresas brasileiras.
Tenho pouco conhecimento sobre Lech Walesa, sei que ele foi agraciado com o Nobel da Paz em 1983, sei que ele foi responsável ao lado de tantos, a derrubar o regime totalitário na Polônia, um regime burocratizado, num país sem democracia e sem liberdades, um regime que traiu a esquerda e sei que ele chegou à presidência prometendo levar a Polônia ao capitalismo.
Me lembro também que Walesa foi visitado por Lula e Jacó Bittar nos anos 80, mas não houve grande afinidade entre as visões de mundo deles, penso que Bittar e Lula estavam mais a esquerda.
Walesa chegou ao poder em 1990, Lula apenas em 2003, mais maduro.
Uma vez no poder Walesa viu sua liderança decair, talvez em razão do seu personalismo e prepotência. Tanto que perdeu a eleição para um segundo mandato e tornou-se um dos políticos mais impopulares da Polônia (talvez pela sua fé no capitalismo e no mercado). Já Lula venceu as eleições populares que deram a ele seu segundo mandato e ainda foi decisivo na eleição de sua sucessora. 
COMO VEJO LULA? Vejo Lula com um socialdemocrata e não como um militante de esquerda propriamente.
Lula, a quem Bono Vox chama de “um tesouro global”, é um dos responsáveis pelo processo de redemocratização no país, sua liderança nos anos 70 e 80 despertou a semente da liberdade e da democracia.
E este verdadeiro patrimônio da democracia brasileira, conhecido e reconhecido no mundo como um militante das liberdades e da democracia, um líder mundial que denuncia a fome como um mau que deve ser combatido, um está sendo investigado pelo Ministério Público Federal por “trafico de influência internacional”.
Minha avó diria: “Santo Deus!” Trafico de influência? Mas o que crime é esse?
Bem, “tráfico de influência consiste na prática ilegal de uma pessoa se aproveitar da sua posição privilegiada dentro de uma empresa ou entidade, ou das suas conexões com pessoas em posição de autoridade, para obter favores ou benefícios para terceiros, geralmente em troca de favores ou pagamento.
No Procedimento Investigatório Criminal, chamado ludicamente de PIC, o ex-presidente Lula é acusado de ter usado de suas relações para favorecer a Odebrecht e teria o ex-presidente obtido “supostas vantagens econômicas obtidas, direta ou indiretamente”, da empreiteira entre os anos de 2011 a 2014, “com pretexto de influir em atos praticados por agentes públicos estrangeiros, notadamente os governos da República Dominicana e Cuba, este último contendo obras custeadas, direta ou indiretamente, pelo BNDES”.
E, “considerando que as mencionadas obras são custeadas, em parte, direta ou indiretamente, por recursos do BNDES, caso se comprove que o ex-presidente da República Luís Inácio Lula da Silva também buscou interferir em atos práticos pelo presidente do mencionado banco (Luciano Coutinho), poder-se-á, em tese, configurar o tipo penal do artigo 332 do Código Penal (tráfico de influência)”.
Ou seja, o PIC foi instaurado por “supostas vantagens” (ou seja, sem prova das tais vantagens) e também sem que exista nenhuma prova de que o ex-presidente da República Luís Inácio Lula da Silva também buscou interferir em atos práticos pelo presidente do...” BNDES.
Noutras palavras, o PIC é apenas mais uma peça de ficção, mais uma peça publicitária, a compor o espetáculo midiático que setores da imprensa, filhotes de uma UDN morta, vassalos ressentidos e sem-voto, usam para criminalizar a politica e os políticos que se opõe aos interesses de seus senhores.
Ou seja, Lula está sendo acusado de ajudar empresas nacionais. E foi instaurado um PIC sem nenhuma prova (só num país em que um Ministro da Suprema Corte e o Presidente de uma das casas do legislativo marcam um café da manhã para discutir o impeachment é que um procedimento investigatório sem provas é instaurado contra um presidente da republica)...
Como alguém escreveu: “Só um país à beira da irracionalidade completa pode encarar com naturalidade que um ex-presidente possa ser criminalizado por hastear a bandeira dos interesses nacionais fora do País”.
Lula, após deixar a presidência, tem viajado pelo mundo apresentando empresas brasileiras, suas competências, prática que ajudou a manter empregos brasileiros gerando trabalho e renda no país.
Tráfico de influência internacional? Essa é a lógica de um membro do Ministério Público, Lula cometeu o “gravíssimo delito” de defender que empresas brasileiras e ajuda-las a vencer concorrências internacionais em países como Cuba, onde a Odebrecht fez o Porto de Mariel, e República Dominicana.
Essa é a lógica dos imbecis, essa é a lógica daqueles que defendem a privatização da Petrobrás, do Banco do Brasil, da Caixa Econômica Federal e dos CORREIOS, essa é a lógica daqueles que defendem interesses internacionais, os mesmos interesses que se movimentam e buscam desestabilização do País e pavimentam o caminho do golpe.
O BNDES SOFRE INFLUÊNCIA? Não, não acredito, pois todo o dinheiro emprestado pelo banco está voltando para o BNDES, pois a sua inadimplência é baixíssima, está entre 0,01% a 0,06%. 
É possível afirmar que a baixa inadimplência reflete a sua boa gestão, a qualidade da carteira de crédito e repasses e a consistência das políticas operacionais do BNDES. E somente a titulo de comparação, a taxa de inadimplência média do Sistema Financeiro Nacional (SFN) foi de 3% em 2013, a do BNDES foi 0,01%. Outro aspecto a ser registrado é que o BNDES tem aumentado significativamente seus lucros nos governos Lula e Dilma.

Em 2002, último ano do governo neoliberal dos vassalos dos interesses internacionais, o lucro do BNDES foi de menos de 600 milhões de reais, uma vergonha! Naquele ano o banco sofreu uma queda de 31,5% em relação a 2001, quando havia obtido um lucro pouco superior a 800 milhões de reais.

Já em 2013 o BNDES registrou um lucro líquido de R$ 8,150 bilhões no exercício de 2013, valor semelhante ao do exercício anterior, quando o Banco obteve lucro líquido de R$ 8,126 bilhões.

Os resultados do balanço de 2013 mostram melhora em outros indicadores relevantes, com destaque para a redução do nível de inadimplência, que atingiu a mais baixa taxa histórica do Banco, e para a melhora na provisão para risco de crédito. O desempenho expressivo do Sistema BNDES se mantém, a exemplo dos outros anos, em meio a um processo de redução de spreads cobrados pelo BNDES, em linha com o esforço do Governo Federal de estimular o investimento produtivo, e num momento desfavorável do mercado de capitais.

E 2014 foi ainda melhor. O lucro líquido do BNDES em 2014 foi 5,4% maior do que o de 2013 e alcançaram R$ 8,594 bilhões, é o terceiro maior lucro da história do banco.  

E o patrimônio O patrimônio líquido (PL) do Sistema BNDES aumentou, totalizando R$ 60,626 bilhões em 2013. Em 31 de dezembro de 2012, o PL era de R$ 49,993 bilhões. Com a elevação do PL, o patrimônio de referência (PR) do Banco atingiu R$ 108,669 bilhões, acima dos R$ 102,868 bilhões obtidos em 30 de setembro de 2013 e dos R$ 89,598 bilhões em 31 de dezembro de 2012. O crescimento do PL e do PR em relação a 2012, conforme já divulgado anteriormente, deveu-se, principalmente, à captação de R$ 15 bilhões do Tesouro Nacional, classificada como instrumento elegível a capital principal nos termos da Resolução CMN 4.192/13.  O índice de adequação de capital (Índice da Basiléia) registrado pelo BNDES foi de 19,2%, superior aos 11% exigidos pelo Banco Central, aos 17,7% registrados no balanço de setembro de 2013 e aos 15,4% de 2012, ou seja, gestão correta e até conservadora.

Os ativos totais do Sistema BNDES somaram R$ 782,0 bilhões em 31 de dezembro de 2013, apresentando crescimento robusto de R$ 66,5 bilhões em relação ao saldo em 31 de dezembro de 2012. O saldo da carteira de crédito e repasse, líquido de provisão para risco de crédito, atingiu R$ 565,2 bilhões em 31 de dezembro de 2013, dos quais 80,8% correspondiam a créditos de longo prazo. Esses números demonstram a qualidade da gestão do BNDES e afastam qualquer possibilidade de lobby de quem quer que seja.

E AGORA? Espero que o Poder Judiciário, senão o próprio MPF, coloque ordem na esculhambação que esse tal de Valtan Timbó impôs a instituições da grandeza de Lula e do ministério público federal.

Especialmente porque esse ignorante que firmou a abertura do PIC demonstrou desconhecer que o INSTITUTO LULA desenvolve o trabalho de apresentar o Brasil ao mundo desde 1990, tudo começou em 1990, quando Lula e outros companheiros criaram o Ipet – Instituto de Estudos e Pesquisas dos Trabalhadores –, que iria mais tarde se transformar no Instituto Cidadania, o qual em 2011 deu lugar ao Instituto Lula, “que em pouco tempo iria se construir numa nova referência para os que lutam pela paz, pela consolidação da democracia, pela cooperação entre os povos de todo o mundo e se unem no combate à fome e à miséria”.


Um pouco de honestidade do tal Valtan Timbó faria bem à sua conhecida desídia profissional e restabeleceria a honra de um brasileiro que nos honra chamado Luiz Inácio Lula da Silva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário