sexta-feira, 10 de julho de 2015

De João XXIII a Francisco

A presença do Papa Francisco nesses tempos sombrios, de triste e indesejada inflexão conservadora, tem sido luz e guia. Suas opiniões, divinamente humanas nos mantém certos de que "o mocinho sempre vence no final". E se não venceu ainda é porque o final não chegou...

Francisco me remete ao ultimo papa verdadeiramente importante, o Papa João XXIII. 

João XXIII, antes Angelo Giuseppe Roncalli nasceu no século XIX, foi ordenado presbítero no século XX, mas sua grande obra, o Concilio Ecumênico Vaticano II, chegou ao século XXI.

João XXIII foi um grande incentivador do ecumenismo, tanto que foi o primeiro papa, após a ruptura que ocorreu no século XVI, a receber em audiência o arcebispo de Canterbury, o primaz anglicano de então. Além disso verbalizou generosidade ao patriarca de Constantinopla e reuniu-se com varias personalidades protestantes e deu inicio a um necessário diálogo entre hebreus e cristãos.

Mas foi a reforma do Código de Direito Canônico e a convocação do Concilio Ecumênico seu legado. 

João XXIII afirmou numa das suas encíclicas a AD PETRI CATHEDRAM que a "causa e raiz de todos os males, por assim dizer, envenenam os indivíduos, os povos e as nações, e tantas vezes perturbam o espirito de muitos, está na ignorância da verdade." e segue adiante e afirma "... se por loucura ou preguiça, ou, pior ainda, por má vontade nos afastamos do reto usa da razão, apartamo-nos ao mesmo tempo do sumo bem e da lei moral.".

Evidentemente João referia-se à verdade da igreja, mas a verdade, o conhecimento, a honestidade deve nos guiar sempre em todos os quadrantes da nossa vida.



Nenhum comentário:

Postar um comentário