terça-feira, 23 de junho de 2015

Para velhos jornais, crime de sonegação não é notícia

Por que a mídia dá tão pouco destaque à Operação Zelotes, que flagrou fraudes fiscais de mega-empresas? Que interesses levam editores, em certos casos, a não cobrar Judiciário?
Por Luís Humberto Rocha Carrijo, editor do Rapport Comunica
O escândalo do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais — Carf –, que pode superar 19 bilhões de reais, recebe uma cobertura muito acanhada da imprensa brasileira, apesar de sua magnitude e implicações de toda ordem. Dentro do ponto de vista jornalístico, não há nada que justifique um tratamento tão desinteressado e desatento por parte das redações. Ao contrário, os vultosos desvios de recursos da Receita, com a participação de personagens graúdos do PIB nacional (bancos e empresas, boa parte, grandes anunciantes), fundamentam os princípios do que é notícia, pelo menos em veículos que praticam jornalismo em sua mais ampla definição — corajoso e isento, dedicado a informar a população.
leia mais: http://outraspalavras.net/destaques/para-os-velhos-jornais-crime-de-sonegacao-nao-e-noticia/

Um comentário:

  1. para que perder tempo com desvio de conduta de grandes empresas, e sonegação de BILHÕES !!!!!!!!!!!!!!!!!!!! o que interessa ao PIG, é denunciar um mosquito do PT e transformar-lo em um elefante.
    o objetivo é, com denuncias falsas tentar desqualificar o candidato e ganhar as eleições de 2.018, por que no voto limpo nunca vão ganhar.
    estão testando a inteligência dos brasileiros, que não são tão otários assim, como eles imaginam. .

    ResponderExcluir