quinta-feira, 9 de abril de 2015

Eles não vêem o rio (ou Sobre o caminhar da Celinha)









De ideais e convicções pouco sei 
mas sei de paixão 
sei do amor infinito e perfeito 
pelos filhos 
pelo Céu e linha do horizonte...

Sei sobre dores 
tantas dores 
é apenas isso que eu sei...

E por nada saber além do amor e da dor
alem de amar
ser ridículo
e ridículo sigo sendo
caminho na mesma margem do rio

E rio deles
eles não vêem o rio
ou que rio
não sabem da margem
e alienados, vivem
vivem?

Nenhum comentário:

Postar um comentário