quarta-feira, 22 de outubro de 2014

POR QUE CONTINUO VOTANDO EM DILMA?


Há muitas razões pelas quais eu seguirei depositando meu voto e minhas esperanças em Dilma e no governo de coalizão que vem conduzindo o país desde 2003.

É possível fundamentar o voto na evolução do Produto Interno Bruto- PIB, que cresceu de R$ 1,48 trilhões em 2002 para R$ 4,84 trilhões em 2013, ou seja, o país cresce e cada vez mais, aliado a esse dado não se pode esquecer que o chamado PIB per capita R$ 7,6 mil em 2002 para em 2013 ser de R$ 24,1 mil, não me parece pouco.

Outro dado fundamental esta relacionado à Dívida líquida do setor público, que em 2002 comprometia 60% do PIB e em 2013 chegou a invejáveis 34% do PIB, ou seja, um governo zeloso.

Outro aspecto é a exitosa gestão dos bancos públicos. O Lucro do BNDES saiu de tímidos R$ 550 milhões em 2002 para R$ 8,15 bilhões em 2013, o que possibilita o investimento continuo da instituição no setor produtivo nacional. O lucro do Banco do Brasil que em 2002 foi de R$ 2 bilhões multiplicou-se por oito e chegou a R$ 15,8 bilhões em 2013. Já a Caixa Econômica Federal, responsável pelo MINHA CASA MINHA VIDA, viu seu lucro evoluir de mísero R$ 1,1 bilhão em 2002 para, em 2013, colher R$ 6,7 bilhões de lucro.

Some-se o significativo aumento da produção de veículos, que reflete um fortalecimento do mercado interno. Em 2002 a produção de veículos foi de 1,8 milhões e passou para 3,7 milhões em 2013, mais que o dobro.

A taxa de desemprego é um dado fundamental e a criação de novos empregos, da mesma forma. O país convivia com taxa de 12,2% de desemprego em 2002, a realidade é outra em 2013, com taxa de menos de 6%, além disso, a criação de novos empregos foi multiplicada por três.

O aumento da Safra Agrícola que saltou de 97 milhões de toneladas em 2002 para 188 milhões de toneladas em 2013, seria também uma boa razão, assim como o significativo aumento do Investimento Estrangeiro Direto, que chegou a 64 bilhões de dólares em 2013, valor quase cinco vezes mais que em 2002, assim como o aumento das Reservas Internacionais, que aumentaram dez vezes, passando para 375,8 bilhões de dólares em 2013.

Outra boa razão para seguir depositando meu voto e esperanças na Dilma e no projeto que ela representa é o Valor de Mercado da Petrobras, que saltou de R$ 15,5 bilhões em 2002 para R$ 104,9 bilhões em 2014, aliando-se a esse fato que os lucros da companhia multiplicou-se por seis nos últimos doze anos.

O poder de compra do salário mínimo majorado, a posição da nossa Dívida Externa em Relação às Reservas que era de 557% hoje é de apenas 81%, que mostra enorme responsabilidade fiscal e a Posição do Brasil entre as Economias do Mundo, saímos da 13ª. para a 7ª. Posição. Ademais, saímos de uma Inflação Anual Média no Governo FHC de 9,1% a.a. para 5,8% a.a. nos Governos Lula e Dilma. E a SELIC média que chegou a 45% a.a., sob o comando dos liberais, teve no período Dilma percentual de 7,25% a.a. e hoje está em cerca de 11% a.a.. A redução do Risco Brasil (pontos) de 1446 em 2002 para 224 em 2013. São fatos que a oposição não pode questionar.

Mas o que me motiva de fato a votar em Dilma é o PROUNI. Afinal, 1,2 milhões de bolsas de estudos entregues não pode ser ignorado, assim como mais de 8 milhões de matriculas no PRONATEC. Nesses dois programas está o futuro do Brasil, sem falar no FIES que vem financiando 1,4 milhão de jovens universitários. 
Há ainda programas exitosos como o MINHA CASA MINHA VIDA e o LUZ PARA TODOS, os quais não podem ser esquecidos e fundamentam a certeza de que a mudança já começou. 
Podemos fundamentar o voto em outras razões como o aumento da Capacidade Energética, a Criação creches, o Ciência Sem Fronteiras, Mais Médicos, o Brasil Sem Miséria (que retirou 22 milhões da extrema pobreza), a Criação de 18 Universidades Federais, a criação de 240 Escolas Técnicas em todo o país, a queda da Desigualdade Social, a redução da taxa de pobreza e aumento da produtividade, a redução da extrema pobreza, a redução em 50% da Mortalidade Infantil, o aumento em 400% dos Gastos Públicos em Saúde, e o aumento em 500% dos Gastos Públicos em Educação.
Outro aspecto é que a impunidade chegou ao fim no Brasil. Durante o governo FHC a Policia Federal realizou 48 operações apenas, nos últimos doze anos foram realizadas 1.273 operações da Policia Federal, nas quais ocorreram 15 mil prisões. Além da criação de mais 513 varas da Justiça Federal, portanto, quem quer de fato moralidade pública e o fim da farra vota na Dilma, vota no governo de coalizão que o PT comanda.
Por fim, 38 milhões de pessoas ascenderam à Nova Classe Média e 42 milhões de pessoas saíram da miséria, não me parece irrelevante.

Por isso tudo, e muito mais, seguirei depositando meu voto e minhas esperanças nem Dilma e no governo de coalizão que vem conduzindo o país desde 2003.

Nenhum comentário:

Postar um comentário