sexta-feira, 26 de outubro de 2012

"A mídia sempre pré-julga. E no caso do mensalão, pré-julgou."

"A mídia sempre pré-julga. E no caso do mensalão, pré-julgou. 

A pessoa que corresponde às expectativas da mídia passa a ser o herói nacional e quem não corresponde passa a ser o vilão. 

Esse é um problema muito sério, que se vê, sobretudo, em casos criminais. O mensalão é um caso criminal, de pressão da mídia que forma a opinião pública. Não é a pressão da opinião pública, porque a opinião pública é manejada pela mídia. Eu não estou querendo defender a posição do relator ou do revisor, porque eu não conheço o processo. 

Mas nos casos criminais do Brasil, o que é proibido em outros países, a mídia condena sem processo e dificilmente absolve. As interceptações telefônicas, por exemplo, devem correr em segredo de Justiça, mas sai tudo no jornal! Isso é crime. Mas quem é que forneceu a informação? Quem tem interesse em fornecer a informação? Ninguém nunca foi atrás."

(Ada Pellegrinni, professora da Faculdade de Direito da USP em entrevista ao CONJUR).






Nenhum comentário:

Postar um comentário