sábado, 16 de junho de 2012

Medurat Hashevet


Assisti também esse A FOGUEIRA do diretor e roteirista israelense Joseph Cedar.  Gostei, mas "nem tanto".
A história de "Fogueira" se passa durante os primeiros dias do movimento de assentamentos israelense. Mas o filme, que foi exibido no Festival Internacional de Cinema de Palm Springs, é, acima de tudo, um retrato afetuoso de uma jovem viúva e de suas filhas adolescentes.
Na Jerusalém de 1981, Rachel (Michaela Eshet), viúva há um ano, está inclinada a aceitar as propostas de encontros feitas por Shula (Edith Teperson), cujo marido (Assi Dayan) está organizando o grupo fundador para um assentamento judaico.
O primeiro encontro de Rachel é com um homem gentil, o cinquentão Yossi (em uma brilhante interpretação de Moshe Ivgy, um dos principais atores de Israel). Eles são perfeitos um para o outro, mas não se dão conta disso a principio.
Enquanto isso, Rachel tenta fazer parte do grupo religioso que prepara o assentamento. Sendo uma mulher solteira em uma sociedade tradicional, ela não se sente confortável com seu status.
Cedar mostra que para muitos dos colonos israelenses fundadores, o principal motivo não era o fervor religioso, mas um bem imóvel disponível - um bom lugar para se criar uma família.
Interessante como informação e em razão da visão do diretor sobre a motivação daqueles colonos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário