domingo, 24 de junho de 2012

How the USA Shapes the world. Paraguay is an example?



Kenneth Sandelin um amigo finlandês que vive em Molndal na Suécia com sua família deu-me de presente um livro cujo titulo é “The State of the American Empire – How the USA shapes the world” o livro procura mostrar como essa nação imperial e colonialista ocupa espaços e defende seus interesses por todo o mundo.
É inegável que os EUA deixam a sua marca em todo o mundo, através da força militar, do poder econômico, também da força de suas ideias e da sua peculiar cultura de consumo.
É possível falarmos de um Império? Penso que sim, pois hoje os EUA são a única nação cuja influência é verdadeiramente global. Essa afirmação não implica necessariamente que a conquista territorial (característica regra direta de impérios passados​​, como os dos romanos, otomanos, e Britisth) esteja presente hoje, mas é uma construção necessária para compreensão do papel multifacetado dos Estados Unidos na formação e transformação do mundo contemporâneo.
Muitos cidadãos americanos relutam em aceitar o fato de que seu país é uma nação imperial, pois na declaração de independência de 1776, os Fundadores declararam, como o primeiro princípio de sua filosofia de governo: "Consideramos estas verdades como evidentes por si mesmas, que todos os homens são criados iguais".
Aceitar que os EUA agem como um império é um sentimento não compatível com uma mentalidade de libertação e liberdade, mas ao longo da história os EUA mantêm sob seu controle, com características coloniais, outras nações e o fazem porque seu poder que lhe permiti fazê-lo e porque traíram o primeiro principio dos fundadores.
OS EUA exercitam esse poder de várias formas e lançando mão de vários instrumentos que vão desde a intervenção militar direta, com ou sem autorização da ONU, até influenciar e controlar governos, partidos de oposição e a grupos de comunicação, tudo para afirmação de seus interesses com máxima eficácia.
Os EUA foi o primeiro país a reconhecer o novo governo do Paraguai, quando diversos outros países como Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, dentre outros censuraram no mínimo a inobservância do Principio do Devido Processo Legal.  O Secretário-Geral da UNASUL condenou todo o processo.
Há quem diga que o impeachment de Fernando Lugo decorre do desejo dos EUA aumentar sua influência na América do Sul. Por quê? Talvez porque o neocolonialismo da terra dos bravos esteja faminto pelo controle direto ou indireto das riquezas do século 21 (petróleo, terras, água doce, biodiversidade) e ter um membro do MERCOSUL e da UNASUL, alinhado a Washington faz todo sentido e traz grandes vantagens potenciais a interesses políticos, econômicos, diplomáticos e militares estadunidenses. Não se pode esquecer que a Venezuela possui as maiores reservas mundiais de petróleo, maiores inclusive que as da Arábia Saudita. O petróleo pesado da faixa do Orinoco, cuja exploração antes era economicamente inviável, passa a valer a pena com o desenvolvimento de novas tecnologias e a crescente escassez de outras fontes. É uma das maiores reservas remanescentes, capaz de dar sobrevida ao mundo tocado a petróleo e “de quebra” Washington também pode obter condições mais favoráveis à companhias americanas do agronegócio para a expansão de suas atividades Chaco, o grande vazio do Paraguai. Uma das preocupações das empresas que atuam no agronegócio — da Monsanto à Cargill, da Bunge à Basf — é a famosa “segurança jurídica”. Ou seja, elas querem a garantia de que seus investimentos não correm risco. É óbvio que Fernando Lugo, a esquerda e os sem terra do Paraguai oferecem risco a essa associação entre o agronegócio e o capital internacional, num momento em que ela se aprofunda.
E em tempos de crise não é pouco o que Washington pode obter: um parceiro dentro do Mercosul e da UNASUL, especialmente porque o bloco econômico se fortaleceu com o fracasso da ALCA — a Área de Livre Comércio das Américas, de inspiração neoliberal. 
O livro, de 2007, foi publicado pela EARTHSCAN e é assinado por Stephen Burman. Burman não é nenhum radical de esquerda, mas um professor e pesquisador de Política, Ciências Sociais e Humanidades da Universidade de Sussex, Reino Unido e a editora é a Earthscan, uma editora idioma Inglês de livros e revistas sobre as alterações climáticas, desenvolvimento sustentável e tecnologia ambiental para os leitores acadêmicos, profissionais e geral. A Earthscan foi fundada originalmente pelo Instituto Internacional para Ambiente e Desenvolvimento, uma publicação insuspeita e de credibilidade internacional e apresenta o modus operandi dos EUA para conquistar posições de seu interesse no tabuleiro da geopolítica mundial.

Um comentário:

  1. Azuir Disse:

    Todo Nosso Amor ao Pais Irmão Paraguai que merece toda a Liberdade e paz para construir uma Nação Melhor.
    O Golpe Covarde vai retroceder um pouco, contudo o Povo batalhará até a vitória final com a Liberdade plena do Povo e da Terra do Paraguai.

    O Paraguai é nosso irmão, temos de sentir no coração e pedir a Deus para evoluir. mudar.
    Eles merecem a Liberdade, condições de dignidade, e toda Paz pra dos bens da terra desfrutar.

    O PARAGUAI É NOSSO IRMÃO, GOLPE INDIGNO NÃO PASSARÁ.

    Tem de ter a Democracia, e Governo eleito defender.
    Com Respeito e harmonia, com povos irmãos conviver.
    Não queremos confusão, mais queremos muito ajudar.
    O Paraguai é Povo Irmão, o Golpe indigno Não Passará.

    Seu Povo irmão é Sagrado, tem da democracia defender.
    Tem de ser Unido e dedicado, para nenhum golpe haver.
    Valorizando cada eleição, e o voto do povo respeitar.
    O Paraguai é Povo Irmão, o Golpe indigno Não Passará.

    Estamos acompanhando, torcendo para o entendimento.
    O Povo vai se mobilizando, isso é seu posicionamento.
    Ao Povo a Lei e condição, e necessidades não passar.
    O Paraguai é Povo Irmão, o Golpe indigno Não Passará.

    Temos de ouvir o divino, em Justiça Direito e amor.
    Com Bom Jesus Menino, e o respeito ao trabalhador.
    Não pode ter é exploração, que faz a Deus desagradar.
    O Paraguai é Povo Irmão, o Golpe indigno Não Passará.

    A convivência com carinho, por compromisso e dever.
    Tem de honrar seu vizinho, não deixar Golpe florescer.
    Tem de ouvir e de dar a mão, e todos irmãos a cuidar.
    O Paraguai é Povo Irmão, o Golpe indigno Não Passará.

    Vamos produzir na terra, para todo Paraguai usufruir.
    Não vamos fazer Guerra, vamos e aumentar o produzir.
    As terras já tendo ocupação, vamos outras terras doar
    O Paraguai é Povo Irmão, o Golpe indigno Não Passará.

    Questão terra é universal, não deixemos virar Guerra.
    Jesus nos dá o seu sinal, os mansos herdarão a Terra.
    Irmanados em decisão, irmão tem do irmão consultar.
    O Paraguai é Povo Irmão, o Golpe indigno Não Passará.

    Terra tem a Função Social, é de sustentar toda gente.
    Vamos ouvir o Pai Celestial, fazer partilha decente.
    Sem ausência ou omissão, a partilha todos contemplar.
    O Paraguai é Povo Irmão, o Golpe indigno Não Passará.

    Azuir Filho e Turmas de Amigos: do Social da Unicamp, Campinas, SP,de Rocha Miranda, Rio de Janeiro, RJ e de Mosqueiro, Belém do Pará

    ResponderExcluir