domingo, 13 de maio de 2012

Vendendo a alma para o diabo?

Advogo faz 25 anos e posso afirmar que um Advogado conversar com demônios faz parte da rotina do trabalho.  Mas ver o Dr. Márcio Thomas Bastos advogando para o Carlinhos Cachoeira foi uma surpresa (ou um susto?).

A questão a ser considerada está no pacto que se firma.






Na minha vida nunca fiz pacto com o demônio, talvez porque ele nunca tenha me dado muita bola.

Gosto de pensar que o silencio e a ausência do demônio na minha vida sugere que ele sabe com quem faz acordos e a quem ele propõe negócios de alma, comigo ele perderia tempo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário