quinta-feira, 17 de novembro de 2011

bilhete para Celinha e para nossos filhos

Quando eu desistir de tudo
ou quando eu morrer
talvez ninguém note
mas eu saberei que tentei...

Quando eu desistir de tudo
e seguir caminhando em direção ao horizonte
ou saltar em busca do nada
saibam que fui ridículo
saibam que pequei
saibam que trai
saibam que me envergonho dos meus erros
mas me orgulho de ter amado e sonhado
me orgulho dos frutos que colhi
plantados com paixão e desejo
e se num lampejo divino
eu for perdoado
creiam é por vocês e para vocês que eu viveria e morreria outra vez...

Nenhum comentário:

Postar um comentário