sábado, 21 de novembro de 2009

O PEIXE ESTÁ COM FOME, CORREIO POPULAR, CAMPINAS, 9/10/2002


Esse artigo foi publicado em 2002 no CORREIO POPULAR, antes da vitória de Lula sobre José Serra. Hoje muitos que criticavam Lula, o PT e a base aliada devem estar arrependidos...

O meu colega Manuel Carlos Cardoso em sua crítica semanal ao Partido dos Trabalhadores e ao seu presidente de honra Luiz Inácio Lula da Silva tem, na minha maneira de ver, passado dos limites daquilo que se poderia chamar de crítica democrática, tem sido preconceituoso e algumas vezes desrespeitoso, mas isso é problema menor... O Professor Manuel Carlos parece inconformado com o fato de o Brasil estar caminhando, por vontade dos cidadãos e não apenas das elites, em direção da democracia substancial deixando para trás a democracia formal.

Democracia formal segundo Norberto Bobbio nos ensina no seu Dicionário de Política, 9ª ed., Editora UNB, é aquela caracterizada por comportamentos universais, mediante emprego dos quais podem ser tomadas decisões de conteúdo diverso daquelas que substancialmente deveriam ser tomadas (beneficiando a minoria), ao passo que na Democracia Substancial estaria próxima da Democracia Direta, onde a inspiração é a vontade da maioria, onde o projeto de construção da nação haverá de respeitar essa vontade, compatibilizando-a – responsavelmente – com as exigências da economia global...Compatibilizando sim, mas não submetendo a soberania nacional a interesses voláteis.

A derrota de Paulo Maluf, para dois políticos identificados com a ética e com a vanguarda, em São Paulo, a derrota de Fernando Collor para Ronaldo Lessa em Alagoas, a significativa vitória de Mercadante para o Senado (e mesmo a expressiva votação que o Deputado José Aníbal obteve, apesar de ter ficado apenas em quarto lugar), dentre outros indicadores que poderiam ser citados, orientam os futuros governantes e legisladores que os cidadãos desse país querem mudanças... O peixe, ou o povo, que liquidou Maluf e Collor colocou Alckmin e Genuíno no segundo turno... Esse peixe sabe das coisas, ao contrário do que sugeriu o articulista...

E por que querem mudanças? Porque como escreveu o articulista Manuel Carlos Cardoso “o peixe está com fome,...”; o peixe, ou o povo, está com fome de políticas públicas que sejam capazes de gerar empregos, políticas que financiem responsavelmente a atividade empresária que cumpre a sua função social, qual seja, aquela que gera riqueza e a distribui, e não apenas gera e concentra.


Vivemos, e o Professor Manuel Carlos sabe, numa democracia de inspiração social-liberal, e a esse comando constitucional devem adequar-se a social-democracia tucana e o socialismo da estrela.

A social-democracia tucana, que soube com regular competência manter a estabilidade da economia – iniciada no governo Itamar Franco – mostrou-se nesses oito anos absolutamente incapaz de desenvolver políticas de desenvolvimento sustentado para os setores produtivos. A industria nacional tem sofrido muito... Desde a abertura dos portos e aeroportos à nações amigas, irresponsavelmente patrocinado pelo governo Collor, não há políticas públicas eficientes para as empresas, tal fato obriga a redução da produção pela indústria nacional, e é causa remota do desemprego, este último causador da retração no consumo interno, e do aumenta o trabalho informal e, via de conseqüência, a diminuição da arrecadação, obrigando o governo a praticar uma espécie de confisco institucional através da CPMF e outras barbaridades...

Um segundo turno com Lula e Serra (não podemos esquecer que Serra é adversário político de Malan e Fraga no PSDB) é representação do desejo dos cidadãos desse país no sentido de seguirmos dando passos seguros em direção ao desenvolvimento sustentado.

O fato de Lula não possuir um diploma de graduação ou pós-graduação não significa ausência de conhecimento, muito pelo contrário, o filósofo espanhol Manuel Garcia Morente ensina que uma pessoa pode estudar minuciosamente um assunto, estuda-lo muito bem; observar e por conta disso pode ser considerado um expert, entretanto se faltar vivência não há qualquer sentido no estudo pormenorizado...Isso significa que nada retira da vivência sua relevância, nada retira do viver a realidade o significado único e o conhecimento válido.

Lula tem vivência, e dela decorre o mais válido conhecimento o conhecimento da realidade, e é desse conhecimento que a nação precisa para transformar-se positivamente, um conhecimento que supere os indicadores e olhe com olhos de ver o sofrimento desnecessário imposto ao país. O peixe está com fome de conhecimento válido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário