sábado, 2 de maio de 2009

FUNERAL BLUES


Wystan Hugh Auden (21 de fevereiro de 1907, York29 de setembro de 1973, Viena) foi um poeta e crítico inglês. Para os jovens intelectuais de esquerda ele foi a grande voz dos anos 30: algumas vezes demasiadamente político, sempre implicitamente radical e incômodo, pela freqüência com que lançava mão, em seus poemas, de espiões, bordéis e impulsos reprimidos - sua homossexualidade estava por trás de várias referências pessoais, aparecendo insistentemente em sua poesia. Assim que T. S. Eliot publicou a primeira coletânea de Auden, Poemas (1930), ele foi imediatamente reconhecido como porta-voz de sua geração. Filho de médico, Auden foi educado na Escola Gresham e na Christ Church, em Oxford, onde se tornou o líder de uma "gangue" formada por Stephen Spender, Louis MacNeice e Cecil Day-Lewis (pai do ator Daniel Day-Lewis). Logo começou a colaborar com um amigo da escola preparatória, Christopher Isherwood, em peças esquerdistas que misturavam farsa e poesia. Em 1939, mudou-se com Isherwood para a América, onde conheceu aquele que se tornaria seu companheiro, Chester Kallman, com quem anos mais tarde escreveu libretos de ópera, incluindo The Rake's Progress, para Stravinsky.



Seu poema Stop all the clocks, cut off the telephone (ou Funeral Blues) foi utilizado no filme "Quatro casamentos e um funeral" -

"W.H. Auden nunca teve o mesmo status crítico que outros poetas modernos de língua inglesa, como o irlandês W.B. Yeats e os americanos T.S. Eliot, Ezra Pound, Wallace Stevens e outros.

Mas, de uma maneira que não ocorre com eles, está sempre de volta à moda, ao noticiário, ao hábito de milhares de leitores em diversos países."

Abaixo, um poema de W.H. Auden:


FUNERAL BLUES


Parem todos os relógios, desliguem o telefone,
Evitem o latido do cachorro com seu osso suculento,
Silenciem os pianos e com tambores lentos
Tragam o caixão, deixem que o luto chore.
Deixem que os aviões voem em círculos altos

Riscando no céu a mensagem
Ele Está Morto,
Ponham gravatas beges no pescoço dos pombos brancos do chão,
Deixem que os guardas de trânsito usem luvas pretas de algodão.

Ele era meu Norte, meu Sul, meu Leste e Oeste,
Minha semana útil e meu domingo inerte,
Meu meio-dia, minha meia-noite, minha canção, meu papo,
Achei que o amor fosse para sempre: Eu estava errado.

As estrelas não são necessárias: retirem cada uma delas;

Empacotem a lua e façam o sol desmanchar;
Esvaziem o oceano e varram as florestas;
Pois nada no momento pode algum bem causar."


Four Weddings and a Funeral, de Mike Newell(1994). fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/W._H._Auden

Nenhum comentário:

Postar um comentário